Bandas grunge que (quase) ninguém conhece

Os anos 90 estão vivendo um verdadeiro revival, aos poucos dividindo espaço com os anos 80 – e isso vale tanto para as roupas (olá, camisas jeans e xadrez) quanto para a música ou para o entretenimento. Assim fica difícil não relembrar o boom do Nirvana nessa época e, consequentemente, do grunge.

Se você era fã do gênero ou quer dar uma chance para conhecer novas bandas, aproveita essa seleção com 5 bandas grunge que (quase) ninguém conhece:

1. Green River

Formada em 1984 pelo vocalista Mark Arm, contava com o Steve Turner na guitarra, Jeff Ament no baixo e Alex Shumway na bateria. A Green River levou o título de “primeira banda grunge de verdade”.

Apesar de não terem feito muito sucesso nas vendas, eram bem populares por Seattle e acabaram sendo também as primeiras a lançar um álbum pela Sub Pop. Posteriormente, com o fim do grupo, seus integrantes deram início a bandas de sucesso, como o próprio Mudhoney.

Destaque:Swallow My Pride

2. Gumball

Liderada por Don Fleming, multi-instrumentista que participou da gravação de álbuns clássicos como “Goo” (do Sonic Youth) e “Bandwagonesque” (Teenage Fanclub), Gumball criou um grunge mais “digerível”, pronto para as rádios.

Eles se distanciam um pouco das raízes do grunge mais underground para incorporar um pouco dos elementos do post-punk. Apesar do pouco sucesso em vendas, traz algumas das faixas mais bem produzidas da época, com destaque para as guitarras de “Accelerator” e para as melodias mais calmas de “Thunder”.

Destaque:Accelerator

3. Malfunkshun

Formada pelo vocalista Andrew Wood, figura importante na história do grunge, e seu irmão Kevin, Malfunkshun é uma das bandas que se formou láá no começo do gênero, em Seattle, quase um “pré-grunge”. Ficaram conhecidos pela dinâmica de palco e por toda a produção psicodélica no mesmo.

Apesar de ter bastante material por aí, eles nunca chegaram a gravar um álbum completo – na verdade, a Sub Pop supostamente não quis assinar com a banda porque eles não eram “grunge o suficiente”. No entanto, acabaram entrando para uma coletânea da gravadora em 1986.

Destaque:Jezebel Woman

4. Love Battery

O Love Battery traz um lado mais melódico pro grunge. Mais diferentona das outras daqui da lista, eles misturam uma boa dose de psicodelismo ao grunge de Seattle e tem um quê do pop dos Beatles em suas músicas.

Sua formação original incluía Ron Nine (ex-Room Nine), o guitarrista Kevin Whitworth (ex-Crisis Party), o baixista Jim Tillman (do U-Men) e o baterista do Mudhoney Dan Peters, que foi logo substituído pelo baterista do Skin Yard, Jason Finn.

Destaque:Between The Eyes

5. Gruntruck

Junte integrantes do Pearl Jam, Temple of the Dog, Presidents of the USA, Tad e Skin Yard, acrescente umas doses de distorção e o resultado é o Gruntruck. A banda, de 1989, fica ali no limiar entre o som mais pesado, como o do Green River, e o mais comercial, como o do Soundgarden.

Por essa mistura, saíram em turnê com bandas como Alice in Chains, Pantera e Screaming Trees. Acabaram presos numa treta sem fim com a Roadrunner Records, gravadora com quem assinaram, o que acabou desgastando a banda. Há pouco tempo, lançaram o terceiro álbum, que ficou todo esse tempo guardado.

Destaque: “Crazy Love“, “Trip

BÔNUS!

Deb and the Mentals

Apesar do som remeter aos anos 90, Deb and the Mentals é uma banda atual (e brasileira!). Eles trazem riffs que remetem ao grunge, com toda a distorção que o gênero pede.

A banda é formada por Deborah Babilônia (vocal, ex-Debbie and the Rocketeers), Stanislaw Tcaick (baixo, Water Rats), Guilherme Hipólitho (guitarra, irmão do Chuck Hipolitho, Vespas Mandarinas) e Giuliano Di Martino (bateria, ex-Veronica Kills).

Destaque:Mess

Tem mais alguma para acrescentar à lista?

Deixe um Comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *